Paula sai da Globo direto para a delegacia e poderá pegar até três anos de prisão por racismo no BBB19


Paula está com a liberdade em risco por causa das suas atitudes no BBB19

Em plena tela da Globo, ela disparou comentários preconceituosos e racistas, o que fez o delegado Gilbert Stivanello, titular da Delegacia de Combate a Crimes de Racismo e Intolerância do Rio de Janeiro, revelar que já há um procedimento instaurado.




“Trata-se de injúria por preconceito alusivo à religião “, disse ele em entrevista ao UOL, afirmando que a pena para o crime de injúria por preconceito varia de um a três anos de reclusão e multa: “Há outros institutos processuais alternativos aplicáveis que podem evitar a imposição de pena de prisão (reclusão)”.

“Nessa parte, a resposta ficará com o Judiciário”, explica ele. Foi acrescentado ao processo o depoimento de Rodrigo, participante negro que se sentiu humilhado com as declarações da colega no confinamento, e assim que sair do programa da Globo, Paula terá que apresentar sua versão dos fatos analisados pela Justiça.

“Se for concluído que ela tinha o intuito ou sabia da possibilidade de ofender com sua fala, poderá ser indiciada e o Inquérito será relatado e enviado à Justiça Comum.


Não cabe Juizado Especial pois a alusão à religião agrava o delito”, disse Gilbert, afirmando que Paula sairá do confinamento direto para a delegacia, onde será ouvida.

O programa termina no dia 12 de abril, após várias declarações polêmicas da loira, que chegou a dizer que tinha medo de Rodrigo por ele ter contato “com esse negócio de Oxum”. Em seguida, ela disparou: “Nosso Deus é mais forte”. Sua irmã e advogada, Mônica von Sperling, disse que já está analisando a situação.

“É um direito dele, se por algum motivo se sentiu ofendido. Fico chateada apenas por conhecer a Paulinha e saber que ela jamais agiu ou agiria com o intuito de ofender alguém”, afirmou a irmã da confinada da Globo.

DEPOIMENTO DE RODRIGO
Em conversa com O Fuxico, Rodrigo revelou não deixará os comentários considerados racistas de Paula passarem desapercebidos. “Cabe à polícia avaliar. Eu confio nas autoridades e sei que a solução virá da melhor forma possível”, afirmou o ex-confinado da Globo.

Em conversa com Ana Maria Braga, ele comentou sobre os ataques racistas na web: “A gente vai processar, em relação ao racismo, racismo religioso. A minha família cultua o candomblé, que não tem uma estrutura de catequizar ninguém, não cheguei nesse programa para catequizar ninguém. Mais uma vez cultua o maligno, perverso, sem o cuidado de perguntar do que se trata”.

Comentários

  1. Se é racismo falar de religião, alguém me fala . Porque o que escuto de pessoas que não são da mesma religião que a minha... Não teria espaço dentro das cadeias.

    ResponderExcluir
  2. eu também agiria da mesma forma que a Paula

    ResponderExcluir
  3. que atire a primeira pedra quem nao falaria que tem medo desse negocio de oxum,... Todo mundo q nao participa tem medo. Expressar um sentimento de medo pra mim nao é nada de preconceito,,,é sentimento,,,liberdade de expressão. Eu moooooorro de medo.

    ResponderExcluir
  4. Isso é coisa de petista que gosta de reprimir, censurar, e tudo de ruim,,,comunismo é uma mer%ˆˆ&#@

    ResponderExcluir
  5. Comcordo plenamente com a paula pra mim medo nao e preconceito ela com muitas pessoas tem medo mesmo ate porq quem conhece a bíblia nao fala nada sobre esse exun ser religião da mesma forma.q candomblé teve ate prisão esses tempos por causa dessas coisas ai, ai vem com essa comversa de preconceito ela.so.falou q tem medo como milhares tem

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Depressão não é preguiça e nem desculpa, depressão é luta.

Mulher compra óculos na praia por R$35 sem se aperceber que na realidade pagou R$350

Ter uma irmã é o presente mais sublime que Deus pode te dar

Frases de Conquista

Reconquista Perfeita